Diga com quem tu andas que direi quem tu és

Detalhe de “Multidão” de Eduardo Cambuí Junior
Por Claudio Cox

Conheci Rafael Cab, Carol Navarro e Yuri Braga no começo aqui do Pastilhas, via Coletivo MARTE – um grupo formado em 2010 por músicos, jornalistas, estudantes, fotógrafos e afins, que, assim como o Pastilhas, entrou numas de movimentar a produção cultural da região do ABC.

Fizemos algumas coisas juntos, discotequei numa festa do MARTE, Cab fez o mesmo numa do Pastilhas e assim foi. No final de 2011, tive um contado mais próximo com Cab e Yuri por conta do festival ABC do Som, organizado pelo Cidadão do Mundo e que ajudamos (Pastilhas e MARTE) na produção junto com mais alguns grupos e coletivos aqui da quebrada.

Foram uns dois meses de trabalho, reuniões que raras às vezes ficavam na esfera do festival em pauta, tinha-se ali em comum, um pensamento sócio- cultural em patamar regional e nacional, uma vontade desenfreada de ver o artista independente em condições de produzir e essas coisas que vocês devem estar cansados de saber (ou deveriam).

Enfim, fizemos o festival e nós (Cab e eu) arquitetamos algumas coisas para o ano seguinte, uma delas era uma noite de cinema e música, na qual uma banda produziria uma trilha sonora ao vivo para algum clássico da sétima arte.

Aliás, foi assim que conheci a Marco Nalesso e a Fundação - banda que Cab, Yuri e Carol dividem com Nalesso – em uma noite que o Pastilhas promoveu dentro do Festival ABC do Som, improvisando uma trilha para o grande “Gabinete do Dr. Caligari”.

Mas, além da “mania de querer” produzir, organizar e juntar fazedores de arte por aí, outra coisa que tínhamos (e ainda temos) em comum eram os nossos próprios projetos artísticos pessoais, que também são os mesmos: A música.

Passados seis meses, o lance do cinema com música não saiu das nossas cabeças (pelo menos da minha, não), mas, não foi por falta de vontade ou desânimo ou qualquer outra viadagem, acho que foi por escolha mesmo.

Eu escolhi trabalhar na produção de uma coletânea com algumas bandas locais, entre elas os Giallos, da qual faço parte, além de pensar e trabalhar mais na minha própria banda, e isso tem tomado muito tempo e dedicação da minha pessoa.

Cab e Yuri estão a todo vapor com a Marco Nalesso e a Fundação, acabaram de lançar um álbum (querendo faça o download aqui), um vídeo e até em enterro se marcar os caras fizeram show nos últimos meses.

Nem sei por que me lembrei disso tudo, acho que foi o vídeo deles que acabei de ver no youtóba e que me deixou muito contente, pensei em fazer uma resenha, mas não sou a pessoa certa pra isso, prefiro dizer que é bom pra caraio ver gente legal conseguindo realizar suas coisas.

Viajar é necessário, mas voltar pra casa é mais! Nessas, acho que o cinema vai ter que esperar mais um pouco...